sexta-feira, 24 de julho de 2009

Bastidores

Tudo começou com um tormento. Não sabia ao certo o que me atormentava. Trabalhando, e vivendo, senti necessidade de fazer algo. Algo diferente. Então, fiz uma profunda reflexão, resolvi encarar um desafio que jamais poderia imaginar, escrever um livro. Escrevi apenas um parágrafo, olhei a tela e falei comigo mesmo:

-Estranho...

Para mim, é apenas ficção, considerada romance, mas consegui expressar alguma coisa, além das palavras, que algumas pessoas só vão entender se lerem mais uma vez, como diz minha amiga, “Na terceira vez, senti paz”. A certeza veio ai, estava fazendo a coisa certa, depois disso, foi correr atrás, incentivado por poucos, mas como todo rabugento é teimoso, insisti. Insisti.. tanto, que virou realidade graças aos olhos das empresas patrocinadoras, que me deram a oportunidade de mostrar meu trabalho, onde sou deficiente auditivo, e meu maior vilão, na minha construção da historia, foi a gramática e a escassez de expressão em formar as palavras (Ô língua portuguesa difícil, sô).

Misturado com as paisagens que tenho na memória, baseando em algumas coisas que vivi e observei, (não se trata da minha vida pessoal) escrevi com esta intuição, até o presente momento, dois romances, de característica diferentes, mas no meu jeito de escrever. Simples e direto.


O terceiro já em andamento, pretendo não dar nenhuma nacionalidade, será neutra, será uma história complexa, por que pretendo abordar vários temas, em um só romance, pretendo sair um pouco da minha linha e atingir o desconhecido, espero conseguir.
A todos que vão “viajar” no meu primeiro livro, espero sinceramente que gostem. Nem sempre o que você lê é o que está expresso no momento, precisa de mais análises, precisa de atenção. Mas se não gostar, valeu a intenção de ler, como valeu a minha intenção de escrever.

Paz no Coração!

Juliano Gouvêa.

Psiu: Se houver erro, me diga, pois estou sem revisor...rs

Um comentário: